Pesque-solte será liberado no rio Paraguai, em MS, nesta quinta-feira (1º)

Rios de Mato Grosso do Sul ainda estão no período de piracema. Pesca totalmente liberada somente em 1º de março.

| 01/31/2018 às 2:29


Fonte: G1

Pesque e solte auxilia na conservação do meio e na economia do país (Foto: Arquivo TG)

A modalidade pesque-solte estará liberada no rio Paraguai, em Mato Grosso do Sul, a partir desta quinta-feira (1º). A pesca com retirada do peixe segue proibida até 28 de fevereiro.

O pesque-solte no final do período da piracem é autorizado por portaria do governo do estado. Órgãos ambientais verificaram que os peixes já não estão mais em reprodução nesta época.

Para garantir que só haverá pesque-solte e pescaria de subsistência, a Polícia Militar Ambiental (PMA) vai reforçar a fiscalização no rio, em Corumbá e Porto Murtinho.

O trabalho também é reforçado na região de divisa com o Mato Grosso, inclusive, na área do entorno do Parque Nacional do Pantanal. Equipes da sede da PMA são deslocadas para fiscalização na calha do rio Paraguai.

Punição

A PMA alerta que quem for flagrado matando o peixe será preso por pesca predatória. Se condenados, podem pegar pena de um a três anos de detenção.

Além da prisão, todo o material de pesca e mais motor de popa, barcos e veículos utilizados são apreendidos. A pessoa ainda pode ser multada administrativamente de R$ 700 a R$ 100 mil, mais de R$ 20 por quilo do pescado irregular.

Pode pescar

Podem pescar no rio Paraguai ribeirinhos que dependem dos peixes para se alimentarem. É a pesca de subsistência. Eles podem capturar 3 kg, ou um exemplar, respeitando as medidas permitidas, porém, não pode comercializar em hipótese alguma.

Bacia do rio Paraná

Continua sendo permitida a pesca nos lagos das Usinas do Rio Paraná, podendo haver, para o pescador amador a captura de 10 kg mais um exemplar de peixes exóticos e não nativos da bacia, tais como: tucunaré, corvina, tilápia, bagre africano, porquinho etc.

Para o pescador profissional não existe limite cota de captura dessas espécies, desde que não utilize petrechos proibidos (redes, tarrafas, anzóis de galho, espinheis, boias e outros.


Envie seu comentário



@Todos os direitos reservados - 2018