Quarta, 06 de julho de 2022

AO VIVO

Auxiliadora 105.9 FM

Amambai/MS



Durante operação em Três Lagoas, Polícia Civil cumpre 26 mandados de prisão e 41 de busca e apreensão

O delegado-geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas, disse que essa operação faz parte do planejamento estratégico da instituição, com o objetivo de combater a criminalidade em geral, não somente o crime organizado.

23/03/2018 09:52

Campo Grande (MS) – A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), por meio da Polícia Civil, e intermédio do Departamento de Polícia do Interior (DPI), realizou nesta quinta-feira (22.3) em Três Lagoas, a operação Katagogís, que em grego significa origem.

A ação foi desencadeada após o recebimento de informações que estavam relacionadas a um homicídio ocorrido em agosto de 2017, quando o setor de inteligência da Polícia Civil iniciou uma série de diligências. Conforme o DPI, foram cumpridos 41 mandados de busca e apreensão, 36 mandados de prisão preventiva, 26 mandados de prisão e oito flagrantes lavrados, sendo dois por posse de armas, cinco por tráficos de drogas e um de furto de água.

De acordo com o delegado titular do Setor de Investigações Gerais (SIG) de Três Lagoas, Ailton Pereira de Freitas, os trabalhos duraram toda a manhã desta quinta-feira, e foram apreendidos objetos sem origem comprovada, drogas e munições.

Participaram da operação 18 delegados, 10 escrivães, 78 investigadores, 26 viaturas da Polícia Civil, 37 policiais militares com 13 viaturas, três policiais federais, oito agentes da Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron) e cinco tripulantes do Grupo de Policiamento Aéreo (GPA).

O delegado-geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas, disse que essa operação faz parte do planejamento estratégico da instituição, com o objetivo de combater a criminalidade em geral, não somente o crime organizado. “O nosso objetivo é reduzir os índices em todo o Estado, por isso ações semelhantes a essa realizadas em Três Lagoas e também na cidade de Ponta Porã, deverão ser desencadeadas em todas as cidades do Estado. São atividades estritamente repressivas que é a competência da Polícia Civil”, destacou o delegado-geral.

Regiane Ribeiro – Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) com informações da Polícia Civil 

Foto: Polícia Civil