Quinta, 30 de junho de 2022

AO VIVO

Auxiliadora 105.9 FM

Amambai/MS



Governo Temer anuncia uso das Forças Armadas para liberar estradas de bloqueios

Presidente orienta estados a usar o Exército para liberar as rodovias

25/05/2018 14:31

O governo federal autorizou o uso de forças federais de segurança para liberar as rodovias bloqueadas pelos caminhoneiros caso as estradas não sejam desbloqueadas pelo movimento. O anúncio foi feito no início da tarde desta sexta-feira (25) pelo presidente Michel Temer, em pronunciamento no Palácio do Planalto.

A decisão foi tomada após reunião no Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que contou com a participação de ministros e do presidente.

“Quero anunciar um plano de segurança imediato para acionar as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos governadores que façam o mesmo. Não vamos permitir que a população fiquem sem os gêneros de primeira necessidade, que os hospitais fiquem sem insumos para salvar vidas e crianças fiquem sem escolas. Quem bloqueia estradas de maneira radical será responsabilizado. O governo teve a coragem de dialogar, agora terá coragem de usar sua autoridade em defesa do povo brasileiro.”

Na quinta-feira (24), os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Eduardo Guardia (Fazenda) e Carlos Marun (Secretaria de Governo) anunciaram acordo para suspensão dos protestos da categoria por 15 dias, quando as partes voltarão a se reunir.

Hoje (25), no entanto, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que ainda não registra desmobilização de manifestação de caminhoneiros nas rodovias do país. O ministro Eliseu Padilha disse também nesta sexta-feira que o governo confia no cumprimento do acordo firmado ontem com as lideranças do movimento.

Mobilização

Em Mato Grosso do Sul, os caminhoneiros aumentaram ainda mais a mobilização e a atuação nesta sexta. Os pontos de bloqueio nas estradas federais e estaduais subiram para 65 nesta sexta, contra os 49 de quinta.

Protestos
A manifestação chega ao quinto dia nesta sexta-feira. A categoria protesta contra os seguidos aumentos do preço do diesel.

As principais reivindicações da categoria são: redução de impostos sobre o preço do óleo diesel, como PIS/Cofins e ICMS, e o fim da cobrança de pedágios dos caminhões que trafegam vazios nas rodovias federais concedidas à iniciativa privada.