Segunda, 04 de julho de 2022

AO VIVO

Auxiliadora 105.9 FM

Amambai/MS



Radares na BR-163 começam a multar. Confira onde estão os equipamentos

Os 13 equipamentos espalhados de sul a norte do Estado identificam a marca, modelo e placa do veículo, além velocidade no momento da infração

17/03/2018 10:00

Radares em operação em vários trechos da BR-163 em Dourados e Capital / Foto: Divulgação

Entrou em funcionamento os 13 radares implantados na BR-163 que corta o estado de Mato Grosso do Sul. Os equipamentos irão auxiliar a fiscalização de velocidade em pontos estratégicos da rodovia e as autuações serão feitas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Os equipamentos já estavam instalados, porém desligados em razão de impasse referente à manutenção. A desativação havia sido feita pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit). A BR-163, que cruza 21 municípios do Estado, tem radares do Dnit e da CCR MS Via, empresa responsável pela administração da rodovia.

Segundo a CCR, a instalação e a operação dos equipamentos atendem a uma determinação de contrato de concessão, além de ser uma ferramenta de garantia de segurança do usuário através da fiscalização da velocidade máxima permitida na rodovia.

Os radares estão espalhados de norte a sul do Estado, com maior concentração nas cidades de Campo Grande e Dourados, as duas maiores de MS. Na região sul, há equipamentos no Km 26,6 e Km 27,3, em Mundo Novo. Já em Itaquiraí está no km 75,7. Ainda na região sul, três radares estão concentrados em Dourados, todos no perímetro urbano: km 260,2; km 269,4 (próximo ao presídio); e km 270,4.

Já na região central do Estado, os equipamentos reaparecem no km 363,5 e no km 397, em Nova Alvorada do Sul. Depois surgem nos km 466,8; km 475,6; e km 480,6, em Campo Grande. Mais ao norte do Estado os radares estão concentrados nos kms 675,5 e km 690,6 – Rio Verde de Mato Grosso.

O equipamento é controlado por um microprocessador que coleta os dados de volume, velocidade e tamanho dos veículos, 24 horas por dia. As imagens e dados são criptografados e armazenados na memória do próprio radar, o que garante a integridade em caso de falha de energia elétrica. A nitidez das imagens é de no mínimo 70% a noite e mais de 90% durante o dia, podendo identificar a marca, modelo e placa do veículo infrator, além de mostrar a data, horário, local e velocidade auferida no momento da infração.